Quem tem razão?

16 abr

cabo de guerra

A maioria de nós quer ter razão, quer estar certo, principalmente quando nos envolvemos em conflitos entre os irmãos, em problemas de relacionamentos, dentro da família, dentro da igreja ou mesmo no mundo. Exaltamo-nos e esperamos que Deus nos exalte. 

O único problema é que Deus não exalta o que tem razão, aquele que está certo aos seus próprios olhos, ou o que tem a verdade segundo a sua própria avaliação. DEUS DÁ GRAÇA AOS HUMILDES. DEUS EXALTA AOS HUMILDES!

“Antes, ele dá maior graça; pelo que diz:Deus resiste aos soberbos, mas dá graça aos humildes.” Tiago 4:6

Como disse, é mais importante se humilhar do que estar com a razão ou certo aos nossos próprios olhos.
No teste da humildade, o maior desafio não é nos SUBMETER àqueles que julgamos e consideramos maior do que nós. A maior demonstração de humilde é nos sujeitar aos que são menores, segundo o nosso entendimento.
Os mais novos devem submissão aos mais velhos, porém no “trato mútuo”, todos nós devemos nos humilhar.

“Rogo igualmente aos jovens:sede submissos aos que são mais velhos; outrossim, no trato de uns com os outros, cingi- vos todos de humildade, porque Deus resiste aos soberbos, contudo, aos humildes concede a sua graça. Humilhai- vos, portanto, sob a poderosa mão de Deus, para que ele, em tempo oportuno, vos exalte,” 1 Pedro 5;5-6

Creio de verdade que o Espírito Santo me inspirou a escrever esta reflexão e por isso eu oro para que esta pequena mensagem chegue a um coração necessitado de ouvir. Estou certo que quando não vemos o Senhor em meio aos conflitos interpessoais, nos amargamos e, uma vez contaminados, contaminamos outros por causa da nossa raiz de amargura. Que o Senhor abra os nossos olhos para vermos.

No amor do Senhor Jesus,

No amor do Senhor Jesus,

Franco e DeniseSérgio Franco ><>

Twitter: @francoamd7

Facebook: https://www.facebook.com/sergio.franco.servolivre

..
..
..

Não deixe de congregar – parte final

27 mar

Se estamos sendo humilhados e resistidos, vamos buscar em Deus os motivos, deixar Deus mostrar e falar conosco, nos disciplinar e admoestar. Orar é se humilhar, é reconhecer que eu não posso fazer nada sem Ele, que eu preciso do Senhor para tudo e em tudo. Oração é dependência total no Senhor, é humildade. Quando a pessoa está em pecado ou “na carne”, não consegue orar. Uma pessoa quebrantada pode estar sem forças para orar, mas Deus ouve até os seus gemidos (Romanos 8:26).

Se você faz parte de um grupo de comunhão de irmãos, disponha seu coração a ajudá-los, mas não “alisando” o ego das pessoas e, sim, levando-os a compreenderem e aceitarem o propósito de Deus em meio às críticas, humilhações, injustiças ou sofrimentos que estejam passando, glorificando a Deus pela oportunidade de crescimento. Não ajudamos as pessoas apontando os defeitos e erros dos outros ou os males que lhes causaram. Isso não irá torná-las mais maduras. Fale o que as pessoas precisam ouvir, e não o que querem ouvir.

Existe muita gente cheia de mágoas, rancor e ressentimentos porque se acham injustiçadas. Elas devem ser admoestadas conforme Paulo ensinou: “Por que não sofreis, antes, a injustiça? Por que não sofreis, antes, o dano?” Só assim poderão ser ajudadas. Advertir, admoestar, corrigir, disciplinar são mecanismos de ajuda, de bênção, de serviço; servem para colocar as pessoas novamente “no trilho”. Corrigir é mostrar a verdade, é algo positivo, é para nos fazer crescer. O evangelho nos traz o modelo de amor, de perdão, de serviço, de sofrimento, de mudança. Jesus e os discípulos nos ensinaram e demonstraram esse caminho. Somos exortados a perdoar, servir e amar como Cristo o fez.

Colossenses 2:6, 3:12-17: “Como, pois, recebestes o Senhor Jesus Cristo, assim também andai nele… Revesti-vos, pois, como eleitos de Deus, santos e amados, de entranhas de misericórdia, de benignidade, humildade, mansidão, longanimidade; Suportando-vos uns aos outros, e perdoando-vos uns aos outros, se alguém tiver queixa contra outro; assim como Cristo vos perdoou, assim fazei vós também. E, sobre tudo isto, revesti-vos de amor, que é o vínculo da perfeição. E a paz de Deus, para a qual também fostes chamados em um corpo, domine em vossos corações; e sede agradecidos. A palavra de Cristo habite em vós abundantemente, em toda a sabedoria, ensinando-vos e admoestando-vos uns aos outros, com salmos, hinos e cânticos espirituais, cantando ao SENHOR com graça em vosso coração. E, quanto fizerdes por palavras ou por obras, fazei tudo em nome do Senhor Jesus, dando por ele graças a Deus Pai.”

Suportar o sofrimento e as injustiças é algo que agrada e glorifica a Deus:

1 Pedro 2:19-21: “Porque é coisa agradável, que alguém, por causa da consciência para com Deus, sofra agravos, padecendo injustamente. Porque, que glória será essa, se, pecando, sois esbofeteados e sofreis? Mas se, fazendo o bem, sois afligidos e o sofreis, isso é agradável a Deus. Porque para isto sois chamados; pois também Cristo padeceu por nós, deixando-nos o exemplo, para que sigais as suas pisadas.”

O Espírito Santo nos consola para podermos consolar a outros. É isso que leva as pessoas ao crescimento, à maturidade, ao aperfeiçoamento. Que glória há se provocamos alguém e sofrermos as consequências disso? Glorificamos a Deus quando não fazemos nada de errado, sofremos injustamente e suportamos isso por causa da consciência para com Deus. Fomos chamados para suportar a tristeza dos sofrimentos injustos.

Jesus sofreu em nosso lugar, por causa dos nossos pecados, deixando-nos um exemplo para seguirmos. Portanto, ensinar as pessoas a perdoar, a amar, a servir e a sofrer ajuda-as a entender e viver o chamado de Cristo e se confrontar com a verdade. Disciplina não é juízo sobre os outros, mas ajudar alguém que está precisando. Disciplina é prova de amor e paternidade.

Hebreus 12:5-8: “E já vos esquecestes da exortação que argumenta convosco como filhos: Filho meu, não desprezes a correção do Senhor, e não desmaies quando por ele fores repreendido; Porque o Senhor corrige o que ama, E açoita a qualquer que recebe por filho. Se suportais a correção, Deus vos trata como filhos; porque, que filho há a quem o pai não corrija? Mas, se estais sem disciplina, da qual todos são feitos participantes, sois então bastardos, e não filhos. Além do que, tivemos nossos pais segundo a carne, para nos corrigirem, e nós os reverenciamos; não nos sujeitaremos muito mais ao Pai dos espíritos, para vivermos? Porque aqueles, na verdade, por um pouco de tempo, nos corrigiam como bem lhes parecia; mas este, para nosso proveito, para sermos participantes da sua santidade. E, na verdade, toda a correção, ao presente, não parece ser de gozo, senão de tristeza, mas depois produz um fruto pacífico de justiça nos exercitados por ela.”

Eu penso que há um pecado que dói mais no coração de Deus do que a queda. Creio que a nossa reação à disciplina é mais importante do que o erro que causou a disciplina. Nós podemos rejeitar, desprezar a disciplina e até podemos desmaiar em nossas almas, mas o que Deus espera é que a recebamos com um coração aberto e penitente. Que nos humilhemos diante da Sua Palavra e nos convertamos de todo o coração, pois só assim seremos participantes da Sua santidade. Necessitamos disciplinar e sermos disciplinados.
Precisamos que Deus incendeie os nossos corações motivando-nos a ajudar verdadeiramente as pessoas. Que nos importemos de fato com elas para as confrontarmos com os erros que estão vivendo.

Recentemente eu provei um milagre desses em minha vida. Percebi que estava me “enferrujando”, me entregando, deixando algumas coisas passarem, não querendo mexer ou confrontar algumas situações, sentindo-me cansado. Então, Deus me repreendeu com amor perguntando-me: “O que você quer fazer? Você quer se aposentar? Quer parar de falar as coisas que os outros precisam ouvir? Quer parar de congregar?” Quando estamos assim cansados não queremos encontrar ninguém, receber ninguém, ir na casa de ninguém. Perdemos o desejo e o prazer de estar junto com outros. Cansa tratar com pessoas, cansa ser mal interpretado, cansa ver as pessoas cometerem os mesmos erros, cansa ficar mal com as pessoas por ter de corrigi-las, cansa ser criticado e rotulado o tempo todo. Eu estava cansado e, então, Deus me perguntou se eu queria me aposentar, desistir, abandonar minha carreira, DEIXAR DE CONGREGAR ou, então, reagir. Ele colocou uma escolha diante de mim. Então, decidi voltar, pois entendi que, quando desisto do meu irmão, estou desistindo do Senhor.

Esta é a vontade de Deus para nossas vidas! Crescer e ajudar outros a crescer, nunca desistir de congregar e sempre edificar-nos uns aos outros para a glória do Senhor Jesus!

“E não nos cansemos de fazer o bem, porque a seu tempo ceifaremos, se não desfalecermos.” Gálatas 6:9, RA.

No amor do Senhor Jesus,

Franco e DeniseSérgio Franco ><>
Twitter: @francoamd7
Facebook: https://www.facebook.com/sergio.franco.servolivre
..
..
..

Não deixe de congregar – parte 3

20 mar
Amizade

2 Timóteo 2:24-26: “Ora, é necessário que o servo do Senhor não viva a contender, e sim deve ser brando para com todos, apto para instruir, paciente, disciplinando com mansidão os que se opõem, na expectativa de que Deus lhes conceda não só o arrependimento para conhecerem plenamente a verdade, mas também o retorno à sensatez, livrando-se eles dos laços do diabo, tendo sido feitos cativos por ele para cumprirem a sua vontade.”

Paulo nos ensina a não vivermos contendendo com as pessoas. Devemos ser brandos para com todos, porém aptos para instruir e disciplinar com mansidão os que se opõem a verdade. Nós não iremos acertar sempre, mas o Senhor deseja que tenhamos um estilo de vida quebrantado, ou seja, nas horas que errarmos, nos humilhar, arrepender, confessar e acertar – um estilo de vida humilde. Deus trabalha em nós para que tenhamos um estilo de vida humilde, que sejamos parecidos com Jesus.

Mateus 11:29: “Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração; e encontrareis descanso para as vossas almas.”

Deus conhece nossos corações e se encarrega de exaltar aqueles que são verdadeiramente humildes. Lucas 10:21 diz que Jesus oculta as coisas aos sábios e as revela aos pequeninos, aos humildes. Ele dá luz àqueles que Lhe agradam; a revelação é fruto, consequência de um coração quebrantado. O soberbo, além de resistido por Deus, é cego para as coisas espirituais. A pior coisa que existe é tentar mostrar algo para uma pessoa soberba, pois ela não enxerga e não escuta a palavra.

Nossas repreensões têm um propósito:

2 Timóteo 2:24-26: “Ora, é necessário que o servo do Senhor não viva a contender, e sim deve ser brando para com todos, apto para instruir, paciente, disciplinando com mansidão os que se opõem, na expectativa de que Deus lhes conceda não só o arrependimento para conhecerem plenamente a verdade, mas também o retorno à sensatez, livrando-se eles dos laços do diabo, tendo sido feitos cativos por ele para cumprirem a sua vontade.”

Disciplina pode ser desde uma correção verbal, pessoal, íntima até uma exposição pública. A repreensão visa basicamente duas coisas: que a pessoa se arrependa para conhecer plenamente a verdade e que ela retorne a um estado de sensatez.

Devemos atuar com a expectativa certa, ou seja, de que Deus concederá ao faltoso, não só o arrependimento para conhecer plenamente a verdade, mas também o retorno à sensatez. O resultado pode quebrar os laços do diabo – “livrando-se eles dos laços do diabo, tendo sido feitos cativos por ele para cumprirem a sua vontade.”

Lembre-se: a falta da disciplina produz morte: “Ele morrerá pela falta de disciplina, e, pela sua muita loucura, perdido, cambaleia.” Provérbios 5:23, RA.

Há pessoas cristãs que se comportam com tamanha insensatez que mais parecem ímpias.

Quando a pessoa cai em si e retorna à sensatez (exemplo, o filho pródigo em Lucas 15), ela se livra dos laços do diabo a que estava sujeita e amarrada. No texto acima entendemos que a ação do diabo se desfaz através da disciplina; seus laços se quebram quando a pessoa retorna à sensatez.

Muitas vezes tentarmos libertar os irmãos de forma mística, fazendo campanhas de oração e libertação para soltar “o crente”, mas, os demônios que atuam sobre crentes só saem com posicionamentos, atitudes e disciplinas por parte daqueles que exercem autoridade sobre os que estão sujeitos aos laços deles.

“… o retorno à sensatez, livrando-se eles dos laços do diabo, tendo sido feitos cativos por ele para cumprirem a sua vontade.”

Considerando o que Paulo disse à Timóteo, podemos também vencer os demônios admoestando, repreendendo, expondo a pessoa às verdades da Palavra de Deus. Muitos irmãos estão cativos por estarem vivendo em práticas pecaminosas, obstinados e insensatos. O pecado pode ser a mágoa, o rancor, a autocomiseração, etc. Alguém tem de chegar até essa pessoa e, ao invés de ficar alimentando as “razões” dela, levá-la ao arrependimento, à mudança de atitude através da admoestação ou da disciplina. Levá-la a entender o que é ser um discípulo de Jesus, a viver segundo a Palavra de Deus. Ninguém cresce se permanecer amarrado pelo diabo, se viver na insensatez.

Para se libertar, a pessoa deve se conhecer, entender de verdade o seu problema, enxergar sua miséria e a raiz dos seus males, para não voltar novamente às práticas erradas. Esses laços, porém, só são quebrados pelo retorno à sensatez, pelo “cair em si”. Nossos problemas não são os outros, não são as injustiças que nos fazem ou as pessoas carnais que vivem conosco, mas são nós mesmos. Só eu tenho o poder de amarrar, impedir, reter ou bloquear minha vida, meu crescimento, meu ministério, etc. Se sou humilde, Deus me exalta. pois ninguém pode me impedir de amar, servir, crescer, etc. Se Deus age em minha vida, quem poderá me impedir (Isaías 43:13)? Quando Deus nos exalta, ninguém nos humilha. Quando o Pai exaltou a Jesus, ninguém foi capaz de prendê-lo, nem mesmo a morte (Filipenses 2:9,10, Romanos 8:37-39). (CONTINUA…)

No amor do Senhor Jesus.

 
Franco e DeniseSérgio Franco ><>
Twitter: @francoamd7
Facebook: https://www.facebook.com/sergio.franco.servolivre
..
..
..

Não deixe de congregar – parte 2

17 mar

caminhando na chuva

No primeiro século a igreja se reunia em casas, em pequenas congregações, onde se praticava os relacionamentos e a verdadeira vida em igreja. Numa reunião familiar todos se conhecem, falam, ouvem, se relacionam e, quando isso acontece, problemas surgem. Por esse motivo a bíblia orienta-nos por meio de mandamentos sobre como devemos agir diante dessas diferentes situações (Romanos 12, Colossenses 3, Mateus 18, etc.).

O texto de Hebreus traça uma linha entre “congregar” e “admoestar”:

Hebreus 10:25: “Não deixando a nossa congregação, como é costume de alguns, antes admoestando-nos uns aos outros; e tanto mais, quanto vedes que se vai aproximando aquele dia.”

Observe que o versículo 26 vai advertir aquele que vive deliberadamente no pecado. Ou seja, esta instrução para congregar e admoestar visa guardar os irmãos de viverem deliberadamente no pecado. Mas, qual é a relação entre estas duas coisas? Congregar é estar junto e conectado. A palavra no original também sugere que este ajuntamento é no mesmo lugar. Admoestar significa “repreender, corrigir”. Muitos deixam de congregar pois não estão mais dispostos a admoestar ou serem admoestados. Nós não gostamos de repreensão e correção, nem receber, nem dar, e além disso, ajudar pessoas é cansativo e muitos desistem deste serviço (ministério).

1 Coríntios 6:1-6: “Ousa algum de vós, tendo algum negócio contra outro, ir a juízo perante os injustos, e não perante os santos? Não sabeis vós que os santos hão de julgar o mundo? Ora, se o mundo deve ser julgado por vós, sois porventura indignos de julgar as coisas mínimas? Não sabeis vós que havemos de julgar os anjos? Quanto mais as coisas pertencentes a esta vida? Então, se tiverdes negócios em juízo, pertencentes a esta vida, pondes para julgá-los os que são de menos estima na igreja? Para vos envergonhar o digo. Não há, pois, entre vós sábios, nem mesmo um, que possa julgar entre seus irmãos? Mas o irmão vai a juízo com o irmão, e isto perante infiéis.”

Para muitos cristãos, quem deve resolver os problemas, os conflitos entre irmãos, são “apenas” os pastores. A igreja em Corinto tinha tantos problemas entre si que acabava levando as causas diante dos tribunais e juízes incrédulos e Paulo ficou indignado, repreendendo a igreja por isso.

1 Coríntios 6:7: “O só existir entre vós demandas já é completa derrota para vós outros. Por que não sofreis, antes, a injustiça? Por que não sofreis, antes, o dano?”

Ele perguntou: “Por que não aceita a injustiça? Por que não aceita o prejuízo? Por que não se humilha e recebe isso como sendo de Deus?” As pessoas “resistidas” são soberbas, mas as pessoas cheias da Graça de Deus são humildes. Há muitos que têm falsa humildade, têm jeito e “cara” de humilde, mas são soberbos. Se somos muito “resistidos” é porque somos soberbos, porque ninguém pode resistir a uma pessoa que Deus exalta. Ninguém pode fechar as portas àqueles para quem Deus abre. Mas Deus mesmo trata de resistir aos soberbos.

1 Pedro 5:5,6: “Semelhantemente vós jovens, sede sujeitos aos anciãos; e sede todos sujeitos uns aos outros, e revesti-vos de humildade, porque Deus resiste aos soberbos, mas dá graça aos humildes. Humilhai-vos, pois, debaixo da potente mão de Deus, para que a seu tempo vos exalte.”

As pessoas que nos escutam e apenas alimentam as nossas dores, mágoas e ressentimentos nos fazem adoecer ainda mais. O verdadeiro amor confronta, corrige, exorta o outro a se humilhar. A pessoa que resiste não muda, não se transforma. Se tentarmos exaltar alguém que Deus está humilhando será uma grande perda para aquela pessoa. Ajudar alguém implica em levar a pessoa ao pleno conhecimento da verdade.

1 Coríntios 6:8,9: “Mas vós mesmos fazeis a injustiça e fazeis o dano, e isto aos próprios irmãos! Ou não sabeis que os injustos não herdarão o reino de Deus? Não vos enganeis: nem impuros, nem idólatras, nem adúlteros, nem efeminados, nem sodomitas, nem ladrões, nem avarentos, nem bêbados, nem maldizentes, nem roubadores herdarão o reino de Deus.”

Paulo disse que aqueles crentes, ao invés de sofrerem o dano, ainda oprimiam os irmãos fazendo a injustiça e o dano. Ele ensinou que aqueles que faziam injustiças seriam julgados pelo próprio Deus. (CONTINUA…)

No amor do Senhor Jesus.

Franco e DeniseSérgio Franco ><>
Twitter: @francoamd7
Facebook: https://www.facebook.com/sergio.franco.servolivre
..
..
..

Não deixe de congregar – parte 1

14 mar

solitário

Há algum tempo eu tive um sonho muito interessante. Havia um grupo de irmãos em uma casa, muito desejosos de crescer espiritualmente e de viver a verdadeira igreja. Só que eles não se deixavam ser tocados pelos outros e muito menos estavam dispostos a tocar quem quer que seja. Não queriam falar ou cooperar com ninguém, queriam viver suas próprias vidas. Também, não havia abertura em seus corações para receber qualquer palavra. Quando acordei, senti Deus fazendo uma pergunta ao meu coração: “Qual é a chance deste grupo crescer?” Crescer fala de maturidade, de qualidade, de santidade. Eu respondi ao Senhor dizendo que era algo muito difícil, pois não queriam tocar e nem se deixar ser tocados.

Gálatas 5:19-21: “Porque as obras da carne são manifestas, as quais são: adultério, prostituição, impureza, lascívia, Idolatria, feitiçaria, inimizades, porfias, emulações, iras, pelejas, dissensões, heresias, Invejas, homicídios, bebedices, glutonarias, e coisas semelhantes a estas, acerca das quais vos declaro, como já antes vos disse, que os que cometem tais coisas não herdarão o reino de Deus”.

Quando o texto acima veio a minha mente, o Senhor me perguntou então se seria possível este grupo ser salvo, se poderia haver salvação sem transformação. Entendi que não seria possível, pois este grupo precisaria estar aberto para a santidade, para o crescimento, pois os santos é que verão a Deus. A bíblia diz que há um caminho aberto a todos para a salvação (João 1:12), mas também diz que, se o homem não fizer a vontade de Deus, não entrará no Seu Reino:

Mateus 7:21: “Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus.”

Assim, não é possível haver salvação sem passar pela transformação e, se não aceitarmos a transformação que Deus quer operar em nós, estaremos indo contra o plano d’Ele de nos salvar. A salvação é uma obra plena e não apenas uma experiência de um dia. Sei que alguém pode argumentar e dizer que o ladrão na cruz teve um único encontro com Jesus e foi suficiente. É verdade, mas não podemos ignorar que ele também não teve tempo de lambuzar mais uma vez sua vida. Ele não saiu dali para viver deliberadamente no pecado.

“Porque, se vivermos deliberadamente em pecado, depois de termos recebido o pleno conhecimento da verdade, já não resta sacrifício pelos pecados; pelo contrário, certa expectação horrível de juízo e fogo vingador prestes a consumir os adversários. Sem misericórdia morre pelo depoimento de duas ou três testemunhas quem tiver rejeitado a lei de Moisés. De quanto mais severo castigo julgais vós será considerado digno aquele que calcou aos pés o Filho de Deus, e profanou o sangue da aliança com o qual foi santificado, e ultrajou o Espírito da graça? Ora, nós conhecemos aquele que disse: A mim pertence a vingança; eu retribuirei. E outra vez: O Senhor julgará o seu povo.” Hebreus 10:26-30, RA.

O texto acima, curiosamente, é a conclusão de um mandamento apostólico:

Hebreus 10:25: “Não deixando a nossa congregação, como é costume de alguns, antes admoestando-nos uns aos outros; e tanto mais, quanto vedes que se vai aproximando aquele dia. Porque, se vivermos deliberadamente em pecado,…”

A santidade também passa pelos confrontos no corpo de Cristo. Existe muita gente que não tem disposição para tocar ou ser tocado. Na verdade, a maioria das pessoas não gosta de ser repreendida ou corrigida. Custa muito alguém chamar a nossa atenção e dizer que estamos errados; ficamos intimidados, chateados. Somos muito justos aos nossos próprios olhos, estamos sempre prontos para vermos os erros dos outros e não os nossos. Não somos bons para vermos as virtudes alheias. Mas ninguém cresce vendo os erros dos outros e vendo apenas sua própria justiça. Começamos a crescer quando enxergamos nossos erros, pois é a única chance que temos de nos arrepender, de mudar, de ver as nossas misérias.

Hebreus 10:25: “Não deixando a nossa congregação, como é costume de alguns, antes admoestando-nos uns aos outros; e tanto mais, quanto vedes que se vai aproximando aquele dia.”

Neste texto, o autor de Hebreus denuncia o motivo de muitas pessoas não quererem viver como igreja. Nós gostamos de grandes reuniões pois não precisamos nos envolver, mas apenas cantar e ouvir uma palavra abençoada. Ou, então, assistir ao culto pela internet; assim não precisamos sair do conforto do lar. Mas, infelizmente, muitos se tornaram “consumidores evangélicos” – só pensam em si, querem apenas consumir o que o evangelho dá, querem ouvir e conhecer boas palavras mas sem nenhuma intenção ou desejo de viver o que ouvem. Gostam de prédios de igrejas que disponham de um bom estacionamento para seu carro, de um ambiente agradável com ar condicionado, escola para cuidar de seus filhos, etc. Se der dízimo ou oferta, então se sente com mais direitos ainda, como se estivesse pagando por estas “benfeitorias”. Em um “ambiente de culto” é muito fácil vivermos apenas como cristãos “comuns”. Mas, quando temos de ir para um ambiente menor, onde precisamos relacionar e viver o que ouvimos, os desafios aumentam (CONTINUA NO PRÓXIMO POST).

No amor do Senhor Jesus.
Franco e DeniseSérgio Franco ><>
Twitter: @francoamd7
Facebook: https://www.facebook.com/sergio.franco.servolivre

..

..

..

A reputação e o copo

20 fev

copo quebrado

Recentemente, vendo as notícias do Face, li esta mensagem do copo. Então me lembrei que um dia um pastor, tentando justificar suas feridas, me contou uma parábola parecida com esta do copo. Ele havia sido difamado por outro pastor. Porém, um belo dia, o difamador pediu perdão. O pastor ferido me disse com base na parábola do “copo”: – “Está vendo Franco, o pedido de perdão dele não pode reparar o dano que ele me causou. Na verdade, ninguém mais pode restaurar a minha reputação”.

Imediatamente, perguntei a ele: – “Quem foi o rei Davi? Ele prontamente me respondeu: – “Um homem segundo o coração de Deus”. Concluí: – Interessante! Você poderia dizer que Davi foi um soberbo, pois fez um senso para se engrandecer, ou um adúltero, pois deitou com a mulher de outro homem, ou ainda um assassino, mas você só consegue se lembrar de que ele foi um homem segundo o coração de Deus.

Balaão foi um profeta procurado por um rei distante. Deveria ser famoso nos seus dias, mas nenhum cristão genuíno que ser um profeta como Balaão. Salomão foi um rei sábio, rico e famoso. Porém, nós não queremos terminar nossos dias como ele terminou os dele. Saul foi rei sobre Israel, bonito e ungido. Mas tampouco queremos ser comparados a ele. Por que? Porque nós sabemos o que Deus falou sobre cada um deles.

Deus também disse que “Davi era um homem, segundo o Seu coração”.

Pois é, no final de tudo, o que conta mesmo, é o testemunho de Deus. A nossa reputação é Deus quem restaura e sustenta, mesmo quando nós mesmos a destruímos.”

“Ora, o mundo passa, bem como a sua concupiscência; aquele, porém, que faz a vontade de Deus permanece eternamente” (1 João 2:17).

No amor do Senhor Jesus.

Franco e DeniseSérgio Franco ><>
Twitter: @francoamd7
Facebook: https://www.facebook.com/sergio.franco.servolivre
..
..
..

O lugar mais santo na terra

12 fev

Lago

“Porque a lei foi dada por intermédio de Moisés; a graça e a verdade vieram por meio de Jesus Cristo” (João 1:17).

Quando lemos o Novo Testamento, observamos que há diferenças em alguns aspectos entre a lei de Moisés e a graça e a verdade de Jesus. Já não são mais necessários os sacrifícios e pactos – circuncisão, sacrifícios de animais –; os dias santos de festas – o sábado, o pentecostes, a páscoa, etc –;  a alimentação – o que é permitido e o que não é permitido -; os rituais e paramentos no serviço sacerdotal.

Com a vinda de Jesus, várias destas práticas da lei mudaram. Porque algumas destas coisas eram “sombras” e outras possuíam aspectos espirituais que se cumpriram cabalmente em Cristo.

Já em outros casos, a graça e a verdade trouxeram uma carga ainda maior, para isso basta ler os capítulos 5, 6 e 7 de Mateus. Neste ensino de Jesus, podemos perceber que alguns mandamentos de Deus se tornaram mais claros e profundos. Não houve mudança no sentido de não se praticar mais o mandamento, ao contrário, Jesus explica o porque da prática. Ele trouxe a graça e a verdade.

De forma simples podemos dizer assim: Que o Verbo de Deus, Jesus Cristo, cumpriu toda a lei e por isso, os paramentos, rituais e ministérios da lei de Moisés deixaram de ser necessários, pois Jesus deu sentido espiritual à vários mandamentos da lei, corrigiu alguns ensinos equivocados dos judeus e explicou e aprofundou os mandamentos morais.

No entanto, muitas dessas sombras ainda pairam sobre a igreja de Jesus Cristo nos dias atuais. Nos dias dos apóstolos, eles tratavam de aclarar a situação para que as sombras se fossem.

“porque tudo isso tem sido sombra das coisas que haviam de vir; porém o corpo é de Cristo” (Colossenses 2:17).

QUE TIPO DE SOMBRA AINDA PAIRA SOBRE A IGREJA DE HOJE?

Confundir a igreja com qualquer outra coisa que não é igreja é uma das piores sombras dos nossos dias.

O autor da carta aos Hebreus disse que o verdadeiro tabernáculo foi erigido pelo Senhor e não pelo homem.

“Ora, o essencial das coisas que temos dito é que possuímos tal sumo sacerdote, que se assentou à destra do trono da Majestade nos céus, como ministro do santuário e do verdadeiro tabernáculo que o Senhor erigiu, não o homem”  (Hebreus 8:1, 2).

Paulo em Atenas também disse:

“O Deus que fez o mundo e tudo o que nele existe, sendo ele Senhor do céu e da terra, não habita em santuários feitos por mãos humanas” (Atos 17:24).

Estevão, um pouco antes de morrer apedrejado, despertou a ira dos judeus ao dizer:

“Entretanto, não habita o Altíssimo em casas feitas por mãos humanas; como diz o profeta” (Atos 7:48).

Eu poderia citar aqui vários outros textos que dizem que nós somos a igreja, a casa de Deus. Que nós somos o santuário do Espírito Santo e que Ele habita (não visita) em nós. Deixo aqui somente alguns:

“Guarda o bom depósito, mediante o Espírito Santo que habita em nós” (II Timóteo 1:14).

“Não sabeis que sois santuário de Deus e que o Espírito de Deus habita em vós?” (I Coríntios 3:16).

“Se habita em vós o Espírito daquele que ressuscitou a Jesus dentre os mortos, esse mesmo que ressuscitou a Cristo Jesus dentre os mortos vivificará também o vosso corpo mortal, por meio do seu Espírito, que em vós habita” (Romanos 8:11).

De uma vez por todas precisamos crer que as sombras se cumpriram em Jesus Cristo. Não precisamos mais do Tabernáculo, nem da Arca da aliança, das vestes sacerdotais do Templo, da sua mobília, ou coisas semelhantes. CRISTO É TUDO EM TODOS. NELE, SOMOS COMPLETOS.

Podemos cantar aquela canção: “ESTOU VOLTANDO A ESSÊNCIA DA ADORAÇÃO, E A ESSÊNCIA ÉS TU… JESUS”, pois não precisamos de um altar de incenso, dos pães da propiciação, da pia, do Urim ou Tumim, do lugar santo, lugar santíssimo.

Mas por que não precisamos? Porque o véu foi rasgado! Porque não precisamos de sombras, nós já temos a “essência”, a substância. Ele se chama JESUS CRISTO, O FILHO DO DEUS VIVO! Aleluia!!!

“Nossos pais adoravam neste monte; vós, entretanto, dizeis que em Jerusalém é o lugar onde se deve adorar. Disse-lhe Jesus: Mulher, podes crer-me que a hora vem, quando nem neste monte, nem em Jerusalém adorareis o Pai. Vós adorais o que não conheceis; nós adoramos o que conhecemos, porque a salvação vem dos judeus. Mas vem a hora e já chegou, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque são estes que o Pai procura para seus adoradores” (João 4:20-23).

Não há lugar mais santo na terra do que o santuário de Deus que somos nós. O Espírito Santo habita em nós. Por esta causa devemos guardar o nosso corpo em santificação e honra, pois Deus habita em nós e nós O adoramos em espírito e em verdade. Amém!

No amor do Senhor Jesus.

Franco e DeniseSérgio Franco ><>
Twitter: @francoamd7
Facebook: https://www.facebook.com/sergio.franco.servolivre
..
..
..

Atitude no deserto

7 fev

cruz

Jó 42:1-6: “Então respondeu Jó ao Senhor, dizendo: Bem sei eu que tudo podes, e que nenhum dos teus propósitos pode ser impedido. Quem é este, que sem conhecimento encobre o conselho? Por isso relatei o que não entendia; coisas que para mim eram inescrutáveis, e que eu não entendia. Escuta-me, pois, e eu falarei; eu te perguntarei, e tu me ensinarás.Com o ouvir dos meus ouvidos ouvi, mas agora te veem os meus olhos. Por isso me abomino e me arrependo no pó e na cinza.”

Essa declaração de Jó expressa que, na verdade, ele nunca havia conhecido perfeitamente a Deus. Mas agora, após o seu deserto, enxergou o Senhor e pode louvá-Lo de verdade. Ele aprendeu que o Senhor tudo pode e que nenhum dos Seus planos poderia ser frustrado!

E a sua história, como está? Como é que o diabo olha para a sua vida? E o seu deserto, como é que você irá sair dele? Qual é a sua resposta, a sua atitude? Deus espera uma resposta sua em meio ao seu cativeiro! Creia que as portas estão abertas em sua vida, que você irá se levantar em louvor, que as cadeias que lhe prendem irão se quebrar e que você irá experimentar um novo tempo de Deus em sua vida! Se você crer nessa palavra, verá o fruto dela em sua vida. Olhe para o seu Pai, confie que Ele cuida diariamente de você, que não está desamparado, que Ele cuida de você, que o corrige e disciplina para o seu bem, mas que nunca o abandona!

Abra a sua boca e faça o diabo emudecer. Dê ao Senhor o seu verdadeiro louvor, o louvor que vê e reconhece Ele, o louvor que se rende a Ele, o louvor que liberta verdadeiramente a sua vida. Declare como Jó: “Porque eu sei que o meu Redentor vive, e que por fim se levantará sobre a terra” (Jó 19:25). Amém!

Franco e DeniseSérgio Franco ><>
Twitter: @francoamd7
Facebook: https://www.facebook.com/sergio.franco.servolivre
..
..
..

“Reclamando de Deus”

31 jan

Sol

Quando reclamamos da vida estamos reclamando da vida que Deus nos deu. Quando reclamamos da nossa situação estamos reclamando da situação que Deus nos proporcionou ou das consequências das nossas semeaduras. É por isso que Paulo disse que aprendeu a viver contente com tudo o que tinha (Filipenses 4:11), porque ele aprendeu a viver e depender exclusivamente do Pai.

Quem é o seu rei? Se uma pessoa incrédula olhar para sua vida, ela poderá dizer que o seu rei é bom? Essa pessoa verá alegria, louvor, agradecimento e contentamento em seus lábios? Apesar das lutas e dificuldades, ela verá que você permanece firme e confiante, que você possui algo que ela não tem? Que o seu Rei é o Senhor Jesus.

Atos 16:25-34: “E, perto da meia-noite, Paulo e Silas oravam e cantavam hinos a Deus, e os outros presos os escutavam. E de repente sobreveio um tão grande terremoto, que os alicerces do cárcere se moveram, e logo se abriram todas as portas, e foram soltas as prisões de todos. E, acordando o carcereiro, e vendo abertas as portas da prisão, tirou a espada, e quis matar-se, cuidando que os presos já tinham fugido. Mas Paulo clamou com grande voz, dizendo: Não te faças nenhum mal, que todos aqui estamos. E, pedindo luz, saltou dentro e, todo trêmulo, se prostrou ante Paulo e Silas. E, tirando-os para fora, disse: Senhores, que é necessário que eu faça para me salvar? E eles disseram: Crê no Senhor Jesus Cristo e serás salvo, tu e a tua casa. E lhe pregavam a palavra do Senhor, e a todos os que estavam em sua casa. E, tomando-os ele consigo naquela mesma hora da noite, lavou-lhes os vergões; e logo foi batizado, ele e todos os seus. E, levando-os à sua casa, lhes pôs a mesa; e, na sua crença em Deus, alegrou-se com toda a sua casa”.

A atitude de Paulo e Silas impediu que o carcereiro se matasse. A maior pregação deles foi se manterem ali, não fugirem, mas ficar adorando e louvando a Deus. As cadeias não os prendiam, eles louvavam ao Senhor independente da situação de prisão que estavam. Aquela atitude foi tão poderosa que o carcereiro desejou para si e para sua família o mesmo Deus que havia visto neles.

O que esse mundo precisa ver em nós? Se somos parecidos com o mundo, se reclamamos das mesmas coisas, se murmuramos igual, eles acharão que nosso rei é Faraó, e não o Senhor. Mas o nosso Rei está assentado no Trono!

Apocalipse 5:12,13: “Que com grande voz diziam: Digno é o Cordeiro, que foi morto, de receber o poder, e riquezas, e sabedoria, e força, e honra, e glória, e ações de graças. E ouvi toda a criatura que está no céu, e na terra, e debaixo da terra, e que está no mar, e a todas as coisas que neles há, dizer: Ao que está assentado sobre o trono, e ao Cordeiro, sejam dadas ações de graças, e honra, e glória, e poder para todo o sempre.”

Nós O louvamos não porque estamos conformados com as coisas que nos acontecem, mas porque cremos em um Deus que transforma todas as maldições em bênçãos, que transforma a nossa vida, que pode e vai mudar todas as situações de deserto na hora em que Ele quiser! Nós O louvamos porque sabemos que Ele está no controle de tudo e quer sempre nos fazer o bem! Nós confiamos que Ele vai mudar a nossa sorte, a nossa história! Por isso, abramos as nossas bocas e louvemos ao Senhor! Creiamos no Senhor e sejamos ousados, confessemos que Ele irá mudar a nossa situação e a nossa vida!

Jó 42:1-6: “Então respondeu Jó ao Senhor, dizendo: Bem sei eu que tudo podes, e que nenhum dos teus propósitos pode ser impedido. Quem é este, que sem conhecimento encobre o conselho? Por isso relatei o que não entendia; coisas que para mim eram inescrutáveis, e que eu não entendia. Escuta-me, pois, e eu falarei; eu te perguntarei, e tu me ensinarás.Com o ouvir dos meus ouvidos ouvi, mas agora te veem os meus olhos. Por isso me abomino e me arrependo no pó e na cinza.”

Franco e DeniseSérgio Franco ><>
Twitter: @francoamd7
Facebook: https://www.facebook.com/sergio.franco.servolivre
..
..
..

Quando Deus nos tira tudo

29 jan

Muletas

Por que às vezes Deus nos tira tudo? Ele tira tudo sim, mas tira as muletas, as bases erradas que construímos, para nos fazer depender somente d’Ele, nos fazer enxergar somente a Ele, para que Ele seja tudo em nós. Têm horas que Deus fecha todas as portas e passamos a depender unicamente d’Ele. Parece que as fontes se fecharam, mas, na verdade, estamos sendo guiados à verdadeira fonte, que é o Senhor (Jeremias 17:13). Só Ele tem a resposta e a direção exata para tudo, só Ele tem a palavra de vida (João 6:68).

Jesus, ao passar pelo seu próprio deserto, disse: “Nem só de pão viverá o homem, mas de toda a palavra que sai da boca de Deus” (Mateus 4:4). É assim que vivemos, pela palavra que sai da boca do nosso Pai.

Situações de cativeiro amarram o louvor, mas, louvor não é apenas cantar, mas é ver o Senhor e aprender com Ele dia a dia nos nossos desertos. Esse “curso”, esse aprendizado com Deus pode demorar poucos ou muitos anos; só depende de nós. Nós somos os responsáveis pela duração dos nossos desertos ou tratamentos. No princípio, Deus estabelece um tempo, mas, a prolongação do mesmo é responsabilidade nossa. Quem é aprovado passa, mas, quem é reprovado, volta à mesma matéria.

Deus quer nos arrancar dos nossos cativeiros, em nome de Jesus! Seu objetivo é que O enxerguemos e creiamos que Ele está conosco, que não nos desamparou; é parar de reclamar da vida, aprender a fazer contas e ver que Deus está conosco muito além do que imaginamos e, assim, deixarmos fluir o verdadeiro louvor. Abrir a boca e declarar: “Senhor, obrigado! Eu não entendo nada, mas sei que Tu estás nesta situação! Eu te louvo, eu te bendigo, não tenho como e do que reclamar de Ti, pois Tu só me tem feito bem!”

 
Franco e DeniseSérgio Franco ><>
Twitter: @francoamd7
Facebook: https://www.facebook.com/sergio.franco.servolivre
..
..
..
Continue lendo
Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 10.303 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: